Google: Punição Última Página / Penalidade 950

Ruy Miranda
Está em curso nos Estados Unidos e em outros países de língua inlgesa, uma punição aplicada pelo Google, chamada de Punição Última Página ou Punição 950. Ela tem despertado muitos protestos e, se o Google não a abolir ou não fizer algumas mudanças significativas, muitas injustiças continuarão a ser feitas. Com mudança ou sem mudança, podemos esperar sua chegada ao Brasil. Por isto, é bom que você saiba que ela pode ser aplicada ao seu site, ainda que você faça tudo “certo” e esteja ocupando a primeira posição nas buscas por vários anos.

O que é – Esta punição consiste em mandar uma página, quando se busca por uma determinada palavra ou frase-chave, do lugar que ocupa, ainda que seja #1, para a última página do índice do Google. Como nos Estados Unidos, e nesses outros países, são comuns apresentações de resultados com cerca de 1.000 resultados por busca, a última página exibida é #1.000 (numa busca de 100 páginas nos resultados); e a página punida aparece mais ou menos no meio, cerca de #950. É conveniente informar, a quem não sabe, que ainda que uma busca informe a existência de milhões de páginas, os mecanismos de busca, por questões práticas, exibem apenas 1.000. Entretanto, pode ser menos de 1.000, em buscas pouco competititvas, como é muito comum no Brasil, e então a expressão punição última página é mais adequada (a última página de resultados pode mostrar, por exemplo, apenas até #400). O site que recebeu a punição pode continuar com o mesmo posicionamento em outras palavras-chave. Portanto, não se trata de uma punição aplicada a todo o site, mas a uma ou mais páginas do site.

Há, ainda, relatos de páginas que simplesmente desapareceram do índice, para determinadas palavras-chave.

Quando começou – A punição última página começou há algum tempo, um ou dois anos, e era aplicada de forma muito esparsa, possivelmente porque estava em fase de testes. De janeiro deste ano para cá, ele se espalhou rapidamente, e há milhares de donos de sites e webmasters chiando barbaridade.

Quais as causas – Eis aqui o grande problema: ningém sabe exatamente quais as causas e dessa punição ou penalidade, tampouco o Google informa. E como sói acontecer, coisas desta natureza vão se esclarecendo aos poucos, à medida que webmasters experientes vão informando resultados alcançados. Assim, a punição #950 ou punição última página já foi revertida em poucos dias, em algumas situações, o que permite dizer que ela está relacionada a:

– Página super-otimizada – Neste caso a super-otimização pode estar em um ou mais dos seguintes lugares: título, meta descrição, meta palavra-chave, cabeçalho, texto, imagens, links.
– Página repetida – Se, em certos lugares destes, ocorre repetição, especialmente no texto, a página que repete é punida. Portanto, aquele conselho que alguns amadores ou pseudo-profissionais dão para você olhar o que fazem os seus competidores que ocupam as primeiras posições, e procurar fazer igual, introduzindo algumas modificações aqui e acolá, é um conselho do mal caminho.
– Excesso de links – O Google aconselha no máximo 100 links por página. Quem ultrapassa em muito tal limite, entra na alça de mira.
– Páginas onde são encontrados links vendidos – Muitos sites estão ganhando dinheiro com a venda de links. Por uma quantia mensal, por exemplo, exibem seu link na primeira página e/ou páginas internas. A punição vem do fato de que tal link não decorre da popularidade.
– Sites que promovem intercâmbio de links – Finalmente o Google começou a corrigir esta distorção. (Mas já começou a aparecer uma nova modalidade: o site A aponta link para o site B. O site B aponta para o site C. O site C aponta para o site A. Vê como o circulo se forma? E é difícil para os programs dos mecanismos de busca descobrirem.)
– Páginas que apontam links para sites que usam métodos para iludir os mecanismos de busca – A lógica aqui estaria no fato de que sua página faz parte da trama, ainda que o mecanismo de busca não seja capaz de saber como.
– Conjunto de ações que levantam suspeição – Mat Cutts, o engenheiro porta-voz do Google, disse que certos sites merecem atenção especial, quando utilizam ações que, no conjunto, geram suspeitas. Ele disse mais ou menos o seguinte:

Não é errado você ocultar os seus dados pessoais ou da sua empresa no “whois”, mas isto não é o usal e tampouco é automaticamente mau; ou seja, usar o serviço de privacidade para que seus dados não apareçam quando alguém quer ver quem é o dono do domínio, não é o usual e nem automaticamente mau. Ter muitos sites (sobre o mesmo tema ou temas correlatos) não é automaticamente mau. Ter muitos sites para pagamento por clique não é automaticmaente mau. Mas quando você tem todas estas coisas juntas, percebe que está lidando com alguém ou empresa diferente de outra que tem apenas um site, e que exibe os seus dados de identificação. Embora não tenha sido claro, como acontece na maioria da vezes, esse engenhiro deu a entender que esse conjunto de coisas podia levar a esta punição.

– Página com problemas na navegação – Páginas que apresentam navegação diferente da navegação padrão do site, e que confundem os robots e os usuários, podem receber esta punição.

O que acontece após as correções – A maioria dos webmasters relatam que a página voltou para a posição normal num prazo relativamente curto (dez dias); outros relataram que demorou meses; outros, por fim, fizeram todas as correções possíves sem qualquer resultado.

O lado bom e o lado ruim – A introdução desta punição tem um lado bom: obriga muita gente a fazer as coisas certas ou sair do mercado, o que torna a competição mais justa. O lado ruim é que o Google:

– como de hábito, não explica porque fez a coisa, e deixa as pessoas desorientadas;
– de um dia para o outro, derruba um site ou empresa que se achava solidamente instalada e pode acabar com seu negócio;
– pode estar manuseando tais mudanças (o que pode significar perseguição) ;
– aparentemente não leva em consideração que o uso de variáveis pouco precisas, dá margem para que os programas apresentem resultados errados (bugs ocorrem até na NASA, com catástrofes conhecidas).

Discussão – O tema tem elementos que justificam horas de discussão, mas vou me ater a um apenas, para que o leitor entenda como um mecanismo de busca, da envergadura do Google, pode cometer erros. Vejamos o caso de página com texto repetido. Imagine que alguém roube o texto de uma página sua, publique-a num blog e você não tem como descobrir o dono. Em princípio, esta página roubada deve ser colocada em resultado adicional, mas isto leva dias ou meses para ocorrer. Suponha, agora, que sua página original sofreu mudanças ou atualizações que não aparecem na página roubada, pois foram feitas posteriormente ao roubo. As duas páginas vão apresentar parágrafos literalmente iguais, e outros diferentes. Como os mecanismos de busca não têm ainda recursos para saber que a sua página foi atualizada, ela pode receber uma punição última página, e a página roubada pode ser promovida. Chato, não é?

Esta entrada foi publicada em otimizacao. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


8 − dois =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>