Google Estimula o Spam ou Está em Bug

Dizer que o Google, seja no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo, estimula o spam, pode parecer uma afirmação irresponsável ou precipitada ou produto de alguém que não gosta desse mecanismo de busca. Mas não é nada disto – o Google é, de longe, o mecanismo de busca que mais uso e consulto. As outras aparências cairão por terra diante das provas que vou apresentar aqui, e do procedimento do Google quando foi avisado em duas situações específicas. E, por fim, mostrarei o quão deletério esse procedimento é, e o quanto ele contribui para piorar a qualidade das buscas. 

PrimeiroExemplo: Spam na MetaDescrição – Acho que a melhor maneira de começar a discutir o assunto é apresentando dados. Vou começar com a imagem abaixo ( Imagem 1). Você pode ver que a descrição da home está com spam. A pessoa que fez o trabalho tentou disfarçar, usando Jordão sem assento e outras bobagens do gênero, e que nada mais indicam que um desconhecimento de como funcionam os mecanismos de busca. Mas a repetição foi obviamente propositada e tinha por objetivo iludir os programas dos mecanismos de busca.

Dizer que o Google, seja no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo, estimula o spam, pode parecer uma afirmação irresponsável ou precipitada ou produto de alguém que não gosta desse mecanismo de busca. Mas não é nada disto – o Google é, de longe, o mecanismo de busca que mais uso e consulto. As outras aparências cairão por terra diante das provas que vou apresentar aqui, e do procedimento do Google quando foi avisado em duas situações específicas. E, por fim, mostrarei o quão deletério esse procedimento é, e o quanto ele contribui para piorar a qualidade das buscas.

PrimeiroExemplo: Spam na MetaDescrição – Acho que a melhor maneira de começar a discutir o assunto é apresentando dados. Vou começar com a imagem abaixo ( Imagem 1). Você pode ver que a descrição da home está com spam. A pessoa que fez o trabalho tentou disfarçar, usando Jordão sem assento e outras bobagens do gênero, e que nada mais indicam que um desconhecimento de como funcionam os mecanismos de busca. Mas a repetição foi obviamente propositada e tinha por objetivo iludir os programas dos mecanismos de busca.

Imagem 1

Você pode ver que esta página está em primeiro lugar para ‘ campos do jordão’. Ao analisar seu conteúdo, seu PageRank (PR) e compará-la com outras páginas, não há motivos para ela estar em primeiro lugar, enquanto que outras, melhor otimizadas, e com o mesmo PR estão em posições inferiores. Então, a conclusão lógica é que a combinação do título com a descrição spameada e o PR foram determinantes para que ela fosse posicionada em primeiro lugar.

Quando este assunto me foi trazido, indaguei se alguém tinha feito alguma denúncia ao Google. A resposta que obtive foi afirmativa e que isto teria sido feito por vários proprietários de sites que se julgavam prejudicados. Entretanto, essas denúncias caíram no vazio. Não duvido. Eu já fiz denúncias ao Google, em outros temas, as quais resultaram em coisa nenhuma. Isto quer dizer que não se trata apenas de uma falha dos programas, os quais não teriam sido capazes de identificar o spam. Isto não serve de justificativa, pois as denúncias foram feitas e nenhuma providência foi tomada. A não ser… que estejamos lidando com algo muito mais sério, um bug no banco de dados do Google.

Prometo ao leitor mostrar logo como este procedimento do Google contribui para piorar a qualidade das buscas. Antes, porém, vou fazer um rápido apanhado histórico sobre o tema meta descrição.

Papel da Meta Descrição nas Buscas do Google – Inicialmente o Google dava grande importância ao título e às metas dscrição e palavra-chave, a despeito do lançamento inovador da exibição de dois ou três fragmentos de textos com as palavras pesquisadas, ao lado do uso do conceito de PR. Foi assim até o final de 2003. Naquela ocasião, este mecanismo de busca fez uma profunda reforma em seu algorítmo. Nela o peso do título diminuiu e as metas descrição e palavra-chave deixaram de ter importância. Isto era tão patente que muita gente pensava, e ainda pensa, que otimizar uma página para o Google era/é não colocar meta descrição e meta palavra-chave.

Em 2007 o Google ressuscitou a importância da meta descrição, e passou a lhe dar, até, importância maior do que antes. Se você acessa o canal de comunicação de relatórios do Google sobre os sites, poderá se deparar com informações do tipo: ‘ Descrição muito curta’, ‘ Ausência de descrição’. É lógico que ele está dizendo estas coisas porque a descrição é importante. Tão importante que muitas vezes, se o seu site aparece no Open Directory (e como conseqüência, no Diretório do Google), a descrição ali existente pode ser usada para substituir a descrição que você fez na home. A descrição de uma página, nesses diretórios, é feita por editores, seres humanos. Então, além dos relatórios, a substituição da descrição que você fez, por outra, feita por um editor, indicam que a meta descrição é muito importante.

O leitor vai concordar com a dedução que se segue. Se a meta descrição é tão importante, ela devia ser melhor vigiada pelo Google para que não fosse objeto de spam. E o Google deveria agir prontamente quando houvesse uma denúncia de spam nessa área da página.

Ao examinar esse caso de ‘ Campos do Jordão’ eu imaginei todas as hipóteses possíveis para que tal spam se sustentasse. Não encontrei uma só que me parecesse viável, a não ser um “ não estou nem aí para spam”.

Segundo Exemplo: Efeito Deletério – Fiz a imagem acima para usá-la neste artigo. Esta semana ao voltar à página pela busca por ‘ Campos do Jordão’ me deparei com o que seria previsível. Veja a imagem abaixo.

Imagem 2

Diante da omissão do Google, outros sites passaram a usar a mesma técnica de spam. E chegaram à primeira página. Observe que um deles, para dar mais ênfase, escreveu em letras maiúsculas, do tipo “óia eu aqui”.

Então agora o leitor vai concordar comigo: o Google, ativa ou passivamente, estimula o spam. Mas é só no Brasil? Mais abaixo vou mostrar, rapidamente, que está acontecendo também nos Estados Unidos. E desde já eu indago se o Google decididamente resolveu baixar o nível.

Terceiro Exemplo: Spam na Meta Palavra-chave e a Importância do Titulo e Meta Descrição – A imagem 3 mostra que o Google não está nem aí para spam na meta palavra-chave. O leitor poderá, com propriedade, argumentar que não está mesmo, que isto é público e notório, e que a meta palavra-chave foi excluída de seu algoritmo. Mas, se isto for verdade, a imagem serve para mostrar de novo que o Google costuma se utilizar apenas do título, da descrição e do PR para posicionar uma página, já que você pode ver que o conteúdo visível para o usuário está em flash e javascript, os quais não são lidos pelos robots.

Imagem 3

O site acima estava na posição 4 para a palavra paintball quando foi feita a imagem. Sites nesta página de resultados já foram objeto de denúncias, sem qualquer resultado prático. A imagem fala por si e o Google permanece calado.

E aí fica uma pergunta intrigante: por que o Google não age?

Fica o leitor convidado a dar sua opinião.

De minha parte orientei os meus clientes a não se seduzirem e, ao contrário, manterem o caminho do trabalho honesto e competente, pois um dia o Google dará a nós, Internautas, uma busca de melhor qualidade.

Nos Estados Unidos – Veja a imagem que se segue (Imagem 4). Ela é do primeiro colocado para ‘web hosting’ no Google em inglês. Veja que ela está com spam.

Imagem 4

Portanto, não há discriminação quanto ao Brasil – o nível está baixando geral. Apenas não sei se este site da imagem acima foi alvo de denúncia, como ocorreu com os que citei aqui no Brasil..

Eu não gostaria de dizer, mas sou obrigado a concluir, pela força dos fatos, que o algoritmo do Google está em crise, ou que os engenheiros do Google estão em crise. Posicionar uma página apenas pelo título, descrição e PR, e ainda premiar quem pratica spam, é um péssimo sinal do que nos espera.

O Que Possivelmente nos Espera – Este e outros sinais do Google indicam que podemos estar diante de algo mais sério e que chamo aqui de Google Bug nas Buscas. Isto, se confirmado, é gravíssimo, e pode representar o começo do declínio deste mecanismo de busca. Mas, pelo fato de que o tema apresenta outras nuances e envolve uma carga maior de dados, trato dele em artigo separado, intitulado Google Bug nas Buscas.

Esta entrada foi publicada em otimizacao. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− 5 = quatro

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>